• Estat Júnior

GRÁFICOS E COMO INTERPRETÁ-LOS

Os gráficos são ferramentas visuais em forma de imagens, e que por meio deles conseguimos analisar, interpretar e organizar dados de forma rápida e objetiva, eles são aplicáveis em diversas áreas sendo que muitos deles são utilizados em meios de comunicação, pesquisas acadêmicas, mercado financeiro, etc.


1. Gráfico de barras

Gráficos de barras comparam valores entre variáveis discretas. Uma variável discreta é aquela em que podemos contar os dados, como números de partidos políticos ou quantidade de pessoas vegetarianas em uma amostra; uma variável contínua, por sua vez, possui dados que passaram por alguma forma de medida específica (altura de um conjunto de prédios ou quilometragem de um veículo, por exemplo). No conjunto de dados usado como exemplo, no qual estudamos o comprimento de sépalas de flores íris, podemos ver quantas amostras de cada espécie foram testadas.

📷

Se o conjunto de dados possui mais de um valor por categoria, um gráfico de barras agrupadas nos permite visualizar valores individuais e compará-los entre as categorias. O gráfico de barras agrupadas é ideal para a comparação do total dos componentes de cada grupo.

O gráfico de barras empilhadas, por sua vez, é ideal para a comparação do total dos componentes de cada grupo, ora a quantidade de cada componente pode ser facilmente notada junto ao eixo que exibe a porcentagem de ocorrência em cada categoria.


2. Histograma

Histograma é um gráfico que analisa a frequência de determinados intervalos de informações (classes) em um conjunto de dados e é representado na forma de retângulos bem próximos entre si, desse modo obtemos uma noção de como esses dados estão distribuídos, qual sua concentração e os valores mais e menos recorrentes.Temos abaixo um histograma analisando os dados do comprimento da sépala.

📷


3. Boxplot

O gráfico boxplot indica a distribuição das observações estudadas a partir da mediana e seus quartis. O boxplot abaixo foi criado utilizando do mesmo banco de dados citado anteriormente, e usando-o como exemplo podemos notar que a mediana do comprimento de pétalas da espécie virginica (destacada em azul) é de aproximadamente 5.5 cm, enquanto algumas amostras da setosa (indicada em rosa) possui pouco mais de 1.0 cm. Esses pontos indicados abaixo da linha indica que essa distribuição possui alguns valores que fogem do padrão dentre as amostras, ou seja, pétalas que são muito menores ou muito maiores quando comparadas entre si. Esses valores aberrantes são chamados comumente de outliers.

📷

Esse tipo de gráfico é ideal para comparar a distribuição de uma série de banco de dados, sendo muitas vezes usadas para monitorar diferentes experimentos que são realizados diversas vezes pois permite diagnosticar facilmente se há consistência nos resultados obtidos.


4. Gráfico de Linhas

Esse tipo de representação avalia uma informação que é contínua, ao longo dos eixos do gráfico que se ligam formando uma linha, além disso conseguimos comparar várias classes e analisar seus níveis de crescimento e decrescimento em vários intervalos, assim como suas tendências. Podemos fazer o uso deste em diversas análises de dados que são quantitativos, aqueles que são numéricos, como em gasto mensal e peso.


5. Gráfico de dispersão

O gráfico de dispersão compara a relação entre duas variáveis, sendo que uma delas é independente e a outra dependente, ou seja, uma informação influencia no resultado da outra, e o seu formato é exibido por vários pontos,logo essas variáveis discretas que se relacionam e formam um padrão no modelo linear, que segue uma distrìbuição contínua, como podemos ver no exemplo de como o comprimento e a largura da pétala estão relacionados.

📷

0 visualização
  • Facebook ícone social
  • LinkedIn ícone social

© 2020 Estat Júnior - Análises Estatísticas